quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Os desapegos


Andava eu, perdida algures na blogosfera, quando encontrei este texto da autoria de uma emigrante Brasileira na Alemanha. O tema, desapegos, diz-me imenso pois é algo que me tem acompanhado, em maior ou menor grau, todos os dias desde que cheguei a este país. Arrisco a dizer que é algo que diz respeito a todos aqueles que, por qualquer motivo, deixaram o seu país, família, amigos, os miminhos do seu animal de estimação, o conforto da sua comida preferida, as paisagens habituais, o mar da Foz, a praia da Barra, os hábitos de sempre... enfim, a sua vida, para trás e partiram em direcção de algo novo...


domingo, 26 de fevereiro de 2012

Estão a ver esta paisagem?



Já é história. O sol brilhou durante todo o fim-de-semana, e os graus positivos chegaram. A neve derreteu, o chão está seco, as minhas botas de Inverno foram arrumadas no canto e em breve chega a vez do casacão. É cedo de mais para estas previsões, já que o estado de tempo é muito traiçoeiro por estas bandas, mas este Inverno foi muito menos horrível frio do que o anterior e acredito que a Primavera vai chegar mais cedo. Sim, ela está quase aqui! Tudo é diferente. A natureza e as pessoas, o ar, os pássaros, a luz, as cores, o estado de espírito. O sol aquece através das janelas fechadas; já não é escuro quando saio do trabalho; nas lojas já se vêem as colecções floridas da nova estação. Dá para ler a felicidade?

Quando vivia em Portugal não dava tanto valor a estas pequenas coisas. As estações em Portugal são bastante mais "uníssonas" entre si, além de que Abril é sempre o mesmo desmancha-prazeres, com aquela chuva estúpida, e não deixa o pessoal curtir devidamente a Primavera. Aqui, o Inverno é tão duro devido à escuridão e ao frio que, assim que um raio de sol se atreve a brilhar, é só ver gente encostada à parede, de cabeça elevada e olhos fechados, a sentir o sol. Outros ficam em casa, mas abrem a janela e sentam-se, meios em topless, exactamente na frincha onde o sol bate. É uma sorte que este sol não bronzeia, senão esse pessoal iria ficar com um bonito bronze às riscas, tais zebras.


Aqui precisa-se de luz, ponto final, e o pessoal não olha a meios para o obter. Os solários, por exemplo, são muito populares e muiiiito baratos. A maioria deles funciona em regime de "self service" e tem horários como 7:00 - 22:00 (tentem encontrar outros serviços com estes horários na Suécia!). O pessoal insere algumas moedinhas numa ranhura e voilá, o solário está pronto a usar. Há, é claro, funcionários de limpeza que passam por lá ocasionalmente. Algo curioso é que os solários não são apenas populares entre as mulheres jovens. Há muitos imensos homens, desde adolescentes a idosos, que os frequentam. 


E é tudo, está na hora do Pilates, que não adianta estar morena articial se continuar parecida com um urso polar.

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Antes e depois


Escrever no blogue é um bicho e, como todos os bichos, cresce se alimentado. E parece que ando a alimentar o meu. Ocorre-me, várias vezes, por dia “Ah, até podia escrever sobre isto”. Mas logo digo “Ah, mas não tem interesse nenhum”. Nestas andanças, acabo por pensar muito e escrever pouco, o que talvez seja um favor à blogosfera. A questão é: em que pensava eu quando não tinha um blogue?

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

A enfermeira Viking


Ontem, por volta das 19:00, fui eu muito tranquila levar a segunda dose de Twinrix. Digo tranquila porque a primeira vacina correu bem e por isso, nada me fazia suspeitar que a segunda iria ser dolorosa. Estava bem enganada. Fui atendida pela autêntica enfermeira Viking, que tratou de me apunhalar (ou será seringar?) com a seringa sem a menor cerimónia. O que me vale, nestas ocasiões, é o meu orgulho, que não me permite choramingar - mas bem que me apeteceu. É verídico, os Vikings andam por aí, e alguns têm licença de enfermagem. Medo...

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Os "semlor"


Depois do Dia do Bolo de Canela, chegou a vez dos semlor. Consistem em massa "normal", massapão e chantilli. E sim, eles também têm o seu próprio dia. Não são os meus bolos preferidos, mas eu não sou pessoa para recusar um bolo quando mo oferecem.

Semlor

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Manicure


Hoje tive algum tempo livre e ocorreu-me fazer uma (espécie de) manicure. Quem me conhece sabe que as unhas não são o meu forte. Apesar de gostar imenso de as ver cuidadas e bonitas, detesto pintá-las e, para minha desgraça, fazer manicure de salão na Suécia pode ficar por volta dos 40€ e, em alguns sítios, fica ainda mais caro se o tratamento incluir a remoção das cutículas. Too much. Assim que, cheia de boas intenções, comprei um verniz novo e decidi pôr as mãos à obra. As unhas da mão esquerda estão prontas mas agora estou cheia de preguiça, além de que não sou propriamente esquerdina. Será que alguém repara se eu não pintar as cinco unhas restantes?

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012