terça-feira, 29 de maio de 2012

Lembram-se...


deste post? Pois é, entretanto encontrei dois grupos de Portugueses na Suécia e já teria encontrado há mais tempo se não tivesse menosprezado o poder do Facebook. Aqui estão eles:



Ah, e nos dias 9 e 10 de Junho há actividades programadas. No dia 9 vai-se ouvir fados e ver o jogo Portugal - Alemanha e no dia 10 há um piquenique.

sexta-feira, 25 de maio de 2012

24 horas


Em apenas um dia, já tive tempo para ver a família, meter a conversa em dia com a minha mãe, brincar com as minhas sobrinhas lindas, ir às compras a lojas decentes que metem o Åhlens num bolso mesmo muito pequenino, fazer manicure e pedicure sem ficar falida, comer ovos-moles, tripa de Aveiro (com ovos-moles, claro), bolinhos de gema, lulas (sem ovos-moles), e pão fresco (ainda quente). 

God bless Portugal.


domingo, 13 de maio de 2012

Aparição do salame de chocolate na Suécia


Na 6ª feira tivemos mais um almoço internacional no trabalho. A minha equipa é composta por membros de muitos países e costumamos tirar partido da nossa multiculturalidade da melhor forma que sabemos - comer! É claro que no final destes almoços não há mesmo Eno que nos safe, mas vale a pena. Não consegui apanhar todos os pratos para a foto, mas aqui fica uma amostra. Havia de tudo, desde tortilla Espanhola a bortsch Russo...




E qual será o representante Português, perguntam vocês? 

Decidi fazer salame de chocolate não só porque é simples e barato, mas também porque este doce faz, sem dúvida, parte da infância de cada Português e por isso acho que nos representa bem. (Além disso, quem é que não gosta de salame de chocolate?)

Infelizmente o meu ficou um pouco seco e não beneficiou da viagem de metro em plena hora de ponta, com todas as multidões e encontrões a que tem direito, mas acho que ficou saboroso na mesma. Para adaptar o nosso querido salame ao paladar não-Português, usei cacau em vez de chocolate e usei menos 50 gramas de açúcar do que a receita indicava. Ficou aprovado e, no que me diz respeito, deu para matar as saudades deste pedaço achocolatado de Portugal.


Aqui está ele, orgulhoso, a representar Portugal!

As minhas colegas da Roménia e da Turquia juram a pés juntos que também há salame de chocolate dos respectivos países. E mais! Na Turquia acompanham-no com leite com gelo triturado...


quarta-feira, 2 de maio de 2012

Valborg


Como quem não quer a coisa, chegou Maio e o meu exame de Sueco está cada vez mais perto. Medo, muito medo. Os exemplos de exame que encontrei online dão a parecer que o exame não é fácil, e nem mesmo durante este fim-de-semana tive tempo para estudar. Os culpados? Euuu? O tempo maravilhoso que tem feito e o Valborg, ou "Noite de Santa Valburga" em Português, segundo a Wikipedia.

Começando pelo bom tempo. No fim-de-semana fui visitar a minha prima Sandra e a sua família a Västerås. O tempo estava tão bom que acabámos por fazer uma visita ao Castelo de Ängsö e um churrasco improvisado. O meu primeiro churrasco de 2012, yea!

Búúú! O castelo tem fama de estar assombrado mas garanto-vos que não vi nada de assustador. Pelo contrário, recomendo a visita. 

Ängsö Slott, o Castelo de Ängsö

O edifício principal...

Fizemos o churrasco mesmo à beira deste lago. 

No domingo ao final da tarde celebrou-se então o Valborg, ou "Noite de Santa Valburga". Apesar do nome solene com que foi baptizada em Português, esta festividade é quase tudo menos religiosa. É, aliás, difícil de explicar sobre o que se trata, já que é uma mistura de várias tradições. 

Para começar, esta noite é celebrada em vários países, como na Alemanha, Holanda, Finlândia e Estónia. Cada país a celebra de forma algo diferente mas desde sempre que este festival foi associado à chegada da Primavera e da luz, ao mesmo tempo que nos despedimos da escuridão. 

Como podem ver na última imagem, fez-se uma fogueira enorme em frente do castelo aqui de Nyköping. A fogueira simboliza a destruição das coisas velhas/negativas, dando espaço a coisas novas. Na origem da fogueira está também uma superstição de antigamente, segundo a qual entre a noite de 30 de Abril e 1 de Maio os espíritos e as almas penadas andam à solta. O objectivo do fogo é afugentá-los...

Nas minhas leituras sobre o tema, vi que a tradição de acender fogueiras tem a ver com o facto de que na Primavera, depois de vários meses de clausura devido ao frio, os animais das quintas eram soltos. Os agricultores acendiam, então, fogueiras para assustar as raposas e demais predadores. Hoje em dia, animais como vacas ainda passam o Inverno entre de quatro paredes, mas não sei se os agricultores ainda acendem fogueiras.

Mas não é só... Na Suécia, o Valborg está também associado às festas estudantis e marca o final do ano escolar. Diz-se que durante esta festa, muitos adolescentes apanham a sua primeira bebedeira, apesar de na Suécia só se poder comprar bebidas alcoólicas após os 20 anos. Resta adivinhar quem lhes compra o alcóol.

Como podem ver, há várias explicações para esta festividade, mas eu contento-me com a simples celebração da vinda da Primavera. Nós merecemos!

Fotos do Valborg...



Bem vinda Primavera!