segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Afinal as pessoas podem mudar


Vivemos uma onda de solidariedade na Europa. De repente o mesmo tipo de pessoas que me faziam comentários deste género estão extremamente preocupadas com situação das pessoas desfavorecidas. Sim, até com os sem-abrigo, que ainda há uns tempos eram todos uns alcoólicos, drogados e preguiçosos (encontrei um texto interessante sobre o tema aqui).

Eu só digo uma coisa. Se todas as pessoas que usam as pessoas desfavorecidas como desculpa para não acolher refugiados fizessem algo que fosse para ajudar as pessoas desfavorecidas, Portugal (e o mundo) estaria bem melhor do que está.

E sim. É verdade que temos muita gente a passar necessidades em Portugal. Gente que até agora não recebeu a ajuda e o apoio de que necessitava. Eu emigrei, sei bem que não há espaço para todos e vivo as consequências disso todos os dias. Portugal estava mal antes dos refugiados e assim continuará com ou sem eles. Quem nos dera que o nosso problema fossem os refugiados, ou os imigrantes em geral. Era tão fácil de resolver, não era? Mas o nosso problema é outro, e vem de dentro. Corrupção. Fuga aos impostos. A mania da grandiosidade - adivinhem as reacções que as pessoas têm quando lhes conto que no nosso "país pobre" temos duas auto-estradas paralelas uma à outra e estádios megalómanos vazios (assim de repente lembro-me do estádio de Aveiro). Uma legislatura que condena as pessoas à precariedade (assim de repente lembro-me dos recibos verdes). O facto de andarmos felizes e contentes a exportar a primeira geração qualificada que o nosso país alguma vez produziu e que se produziu em grande parte graças ao sacrifício das famílias. O facto de praticamente apenas produzirmos bens que países como o Bangladesh e a Índia podem produzir a preços muito mais baixos (abro excepção para o Magalhães, essa grande obra de arte e tecnologia). And the list goes on.

A mim sempre me ensinaram que para resolver um problema é preciso ir-se à raíz dele. Se tens uma casa sem tecto podes comprar um saco-cama térmico para não passares frio à noite mas como é que isso resolve o problema de não teres tecto em casa? E quando chover, o que é que fazes?

Sim, acolher milhares de refugiados vai ser um desafio enorme para um país que no fundo não precisa de mais um desafio para a lista. Tal como foi um desafio para os países que acolheram os portugueses que precisaram de deixar o país durante a época salazarista. Para os que acolheram os judeus que sobreviveram ao Holocausto.

É claro que estou preocupada. Por eles, por nós, por todos. Mas uma coisa é certa, não podemos ficar de braços cruzados a assistir ao desespero desta gente.

Enfim. Mas o que eu queria mesmo era assinalar a comovente onda de solidariedade que se vê por aí. É bom saber que as pessoas passaram a estar tão preocupadas com quem precisa. 


14 comentários:

  1. Concordo em tudo o que disseste. O problema de muita gente é o frquente hábito de comparar coisas que não são comparáveis e nisso os Portugueses são bons.
    Temos sempre a mania que "se não há dinheiro pra X também não há pra Y" quando X e Y são coisas totalmente diferentes.

    Custa-me muito ver certos comentários em que se julgam estas pessoas que estão "a invadir o que é nosso" como se nós, não tivessemos feito algo parecido mas por outros motivos (económicos e não de guerra)...

    Enfim, a ver vamos como se vai resolver este problema.

    www.portysdiary.blogspot.com

    ResponderEliminar
  2. as pessoas que usam as pessoas desfavorecidas como desculpa, são as mesmas que criticam quem adota cães e luta pelos direitos dos animais por não adotarem crianças, enquanto eles só "ladram" e não adotam crianças nem animais. as pessoas que usam as pessoas desfavorecidas como desculpa, são aquelas que nunca adotaram um cão, nem uma criança, que ficam em casa a ver as desgraças pela televisão e a fazer comentários idiotas nos sites e blogs e facebook das pessoas que realmente se importam e se mexem para ajudar.
    É claro que temos muitos problemas por resolver, mas sempre os tivemos e vamos continuar a tê-los, acolhendo, ou não, refugiados. Porque somos assim... um povo e um pais desorganizado (já os romanos diziam de nós, que não nos governávamos, nem nos deixávamos governar) mas, felizmente, um povo solidário. Porque essa turba de ignorantes, ainda são uma minoria que nunca soube quanto custa um pão. :/

    ResponderEliminar
  3. Gostei do texto e concordo contigo ;) de repente todos se lembraram do que vivem em Portugal numa situação de precariedade... enfim. Cinismos...

    ResponderEliminar
  4. Palavras verdadeiras. Na verdade existe mil maneiras de ajudar a essas pessoas, não dá para ficar mesmo de barcos cruzados, o pouco que fazemos se reflete na vida de pelo menos um deles.
    Pra mim então, envolver meus filhos nisso é um excelente ensinamento para eles. A cruz vermelha é uma excelente maneira de começar o auxilio, eles explicam direitinho de que forma podemos ajudar a esses imigrantes. Fica a dica.

    ResponderEliminar
  5. Gostei muito deste texto sobre um tema tão polémico, afinal somos todos seres humanos...

    ResponderEliminar
  6. Gostei muito deste texto sobre um tema tão polémico, afinal somos todos seres humanos...

    ResponderEliminar
  7. É verdade que de um momento para o outro todos se tornaram solidários (evitando olhar de frente para o gajo que pede no metro ou no semáforo) e é verdade que todos têm uma opinião sobre este assunto mesmo não percebendo patavina do que se vai passando. Gostei de muito do que escreveste! Vou seguir (e bem-vinda ao meu blogue!) :)

    ResponderEliminar
  8. É raro ler um texto sobre este tema e chegar ao fim a concordar com o que li. Tens razão, é preocupante, mas não é por isso que devemos cruzar os braços e deixá-los na rua da amargura... Hoje são eles que precisam, amanhã poderemos ser nós.

    ResponderEliminar
  9. Post interessante, sem dúvida. Tbm estive agora em Portugal, durante 2 semanas, e embora tenha estado com pessoas k pensam assim, encontrei muita gente contra...

    ResponderEliminar
  10. Acho que é isso mesmo... e o certo é que existia muita hipocrisia por aí.
    Gostei das tuas palavras :)

    ResponderEliminar
  11. R: ola :D em relação ao Mat flui da Kiko, eu gosto imenso! Eu que tenho pelo com tendência a ser mista, adoro imenso o creme porque é super suave e deixa a minha pele macia e com menos brilho!

    ResponderEliminar
  12. Olá, sou a Isabel e acompanho o seu blog há algum tempo, sou aliás leitora assídua de muitos outros blogs diáriamente, e, como tal decidi criar um sítio onde divulgo os blogs que acompanho, (mas apenas escritos por portugueses, estejam onde estiverem) sejam eles de receitas, artesanato, fotografias, moda, decoração, opiniões ou relatos.

    Faço um pequeno tópico onde convido á visita dos blogs, com hiperlink bem visível, de alguns posts do dia.

    Não faço reprodução de fotos nem textos dos autores, leio, divulgo e comento.
    (Todas as fotos publicadas no meu blog são da minha autoria.)

    É um blog diferente de todos os outros, acaba de nascer, mas que me faz feliz.

    Estou em "Conchas e Búzios" (http://conchasebuzios.blogspot.pt/).

    Resta-me apenas parabenizar o seu trabalho e agradecer uma visita ao meu cantinho quando for oportuno.

    Isabel Guerreiro
    iguerreiro2002@gmail.com

    ResponderEliminar
  13. Amei seu cantinho já estou seguindo, estou começando agora como blogueira gostaria que visitasse minha pagina e me seguisse, obrigada bjsss
    http://josianecavalli.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
  14. Esse é um tema que tem mexido muito comigo ultimamente... eu fico passada quando leio alguns comentários de IMIGRANTES criticando refugiados que não tem escolha... fogem para viver... é demais pra mim!
    No mais, essa semana estive em uma palestra sobre trabalho voluntário voltado para os refugiados e fiquei surpresa com a quantidade de pessoas que foram até lá. Mesmo os organizadores disseram que não esperavam tanta gente. Enfim, mudanças.
    ps: estou voltando a ler os blogs e na medida do possível comentando...rs... li o post sobre Zurique!! Obrigada por me linkar. Que bom que apesar da festa rave, você conseguiu aproveitar um pouco da cidade. Um beijo!!!

    ResponderEliminar