terça-feira, 25 de agosto de 2015

Top 10 de coisas que só faço quando venho a Portugal


10. Tratamentos de beleza/spa
Ok, isto sou eu a sonhar. Ainda não fiz porque além de emigrante também sou estudante, o que coloca os seus entraves a nível de orçamento, mas já verifiquei que são mais baratos cá e um belo dia hão-de encontrar-me alapada numa marquesa a fazer uma drenagem linfática ou algo que o valha.

9. Comprar cremes e sprays para os sapatos
Sim, a sério. Sabem aqueles cremes e sprays para proteger os sapatos da chuva, humidade etc? Quando se vive na Suécia é imperativo usá-los porque, enfim, se não é a chuva é a neve que está a derreter e se não é a neve a derreter é a chuva. E pronto, eu gosto muito do creme para os sapatos do Continente. Faz aquilo que deve fazer e não custa 10 euros como os cremes que vejo lá no círculo polar.

8. Cortar o cabelo
Porque cortar o cabelo custa lá para cima dos 35 euros e em muitos sítios nem lavam o cabelo (mesmo estando oleoso), usam simplesmente um spray de água para o humedecer.

7. Comprar revistas
Na Suécia não ficam por menos de 5 euros e se for comprar aquelas de que eu gosto mesmo (revistas britânicas, portanto, importadas) a brincadeira não fica por menos de 10 euros. E na era da internet, com a abundância de coisas fúteis e bonitas à distância de um clique (e com menos publicidade), parece-me um gasto estúpido desnecessário. A isto ajuda ter-se wi-fi grátis nos comboios lá do reino, que é quando o apetite de ler revistas surge. Tirem-me a wifi-fi grátis e a internet no telemóvel/iPad e lá estarei eu a desembolsar 10 euros. Quando tenho de ler, tenho de ler.

6. Tomar café fora de casa sem peso na consciência
Não se toma café fora de casa por menos de 2,5 euros e já cheguei a pagar 5 euros por um café normalíssimo, num sítio normalíssimo. Uma pessoa sente-se Tão. Roubada.

5. Arranjos de costura, mais precisamente bainhas de calças
Porque fazer bainhas de calças no sítio "muito em conta" que me indicaram lá na Suécia custava 25 euros. Depois de o meu queixo voltar ao normal, agradeci a dica e pus as calças em questão na mala de viagem, à espera da próxima ida a Portugal. Aqui faço bainhas por 3 dinheiros.

4. Limpeza de roupa a seco
Por motivos semelhantes aos descritos acima.

3. Comer peixe grelhado e marisco
Os suecos ainda acreditam que têm peixe e marisco. Quando lhes falo de polvo, juram a pés juntos que têm polvo "muito bom". Quando se desfaz o mal entendido, fico a saber que se referem a calamares congelados. (Aqui entre nós, polvo é peixe ou marisco ou nenhum dos dois? Fiquei na dúvida mas não me apetece ir ao Google).

Daqui

2. Manicure e pedicure
Porque lá na Suécia custa entre os 40 e os 50 euros e não, nem são unhas de gel. É mesmo a manicure normal. E normalmente cobram mais para remover as cutículas.

1. Fazer análises ao sangue
Na Suécia não há o hábito de fazer análises ao sangue por rotina. Quando mostrei umas análises que fiz aqui em Portugal ao meu médico na Suécia, ele não queria acreditar no nível de detalhe delas e divertiu-se muito a ler os nomes dos componentes, um a um. Nunca experimentei mas na Suécia também deve dar para fazer análises ao sangue, no privado (tal como aqui em Portugal), mas não me apetecia muito ir à falência só para saber se tenho anemia. Aqui em Portugal a consulta fica-me por 35 euros e por isso só faço análises cá.

P.S. Estou de férias em Portugal. Adivinhem o que ando a fazer?


terça-feira, 18 de agosto de 2015

O que fazer com um kiwi maduro


Se há produto que me recuso a comprar nas lojas, é exfoliante (apesar de quase salivar quando vejo os da Rituals). Simplesmente porque sei que em casa consigo, em alguns segundos, fazer exfoliantes tão ou mais eficientes do que aqueles que se encontram nas lojas, mas mais baratos e sem químicos. Aqui falei-vos do meu exfoliante "clássico" de 3 ingredientes: açúcar, óleo de abacate e sumo de limão. E há uns dias, quando encontrei um kiwi esquecido no cesto da fruta e demasiado maduro para o meu gosto, decidi experimentar uma receita nova e aproveitar a vitamina C & E do kiwi para a minha pele.



Ingredientes
- açúcar
- mel (uma colher de sopa)
- óleo de côco
- kiwi

Como fazer
Triturar o kiwi com um garfo. Misturar os ingredientes e voilá! Eu gosto dos meus exfoliantes bastante granulados e abrasivos e por isso fui acrescentando açúcar até ficar satisfeita com a textura. O óleo de côco pode ser substituído por azeite sem problemas. Uma vez pronto, é só transferir o conteúdo para um frasco limpo e seco.

Tanto o mel como o óleo de côco têm propriedades anti-bacterianas, mas mesmo assim prefiro manter o exfoliante no frigorífico (e assim até refresca no verão) e não faço "doses" muito grandes, prefiro ir fazendo quando preciso. Só demora alguns segundos, por isso vale a pena, e deixa a pele muito suave e hidratada.


sexta-feira, 14 de agosto de 2015

De vez em quando também faz sol aqui


Mesmo à porta de casa há um relvado, mesas e bancos. Quando está sol e tenho tempo gosto de: 

1. pôr protector solar (always, uso factor 30 no mínimo);
2. fazer um café;
3. alapar-me nos bancos a pôr as leituras em dia. 

Todo este ritual deve ser executado o mais rapidamente possível porque, para mal dos meus pecados, os meus vizinhos pensam da mesma forma que eu e às vezes têm a audácia de roubar "a minha mesa", ou seja, aquela que fica mesmo do lado de fora da minha janela e até tem uma árvore que faz a quantidade p-e-r-f-e-i-t-a de sombra.


Ando a ler "Tigres sob um céu vermelho". Um bocado dêprê para um livro de verão (aqui entre nós, também não tenho pachorra para livros demasiado light) mas as personagens são muito reais e a autora sabe como apelar aos sentidos. Sabem aqueles livros que nos fazem sentir que estamos a viver através das personagens? Este livro é assim.

E vocês, o que andam a ler?


segunda-feira, 10 de agosto de 2015

E em mais um episódio de "Não Se Pode Agradar a Todos"...


No espaço de três dias disseram-me que como muito e que como muito pouco.

E eu até respondia, mas estou demasiado ocupada a comer. Muito. Pouco. Sei lá.


segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Como vencer na vida (3 ingredientes)


Eis que Dona Joana da Sibéria ficou com desejos de pizza mas teve demasiada preguiça para ir comprar.

A única solução plausível:

Pão de barra, molho de tomate e queijo ralado. Voilá. Às vezes até sei o que ando a fazer com a minha vida.