quinta-feira, 7 de abril de 2016

Das diferenças culturais: a Suécia e as crianças



O parque de estacionamento


Já vos contei que é normal não ser permitida a entrada a crianças em certos cafés e restaurantes, especialmente em Estocolmo? E que é normal as crianças serem excluídas de convites para casamentos e outros eventos? E que em certos sítios é permitida a entrada a crianças mas não a carrinhos de bebé (como na foto)? E que é normal os pais deixarem os filhos a dormir a sesta dentro dos carrinhos de bebé, ao ar livre, devidamente estacionados à porta de estabelecimentos comerciais e restaurantes, enquanto os pais fazem a sua vida? Dizem que o ar fresco faz bem aos miúdos e que assim também não incomodam ninguém/não ocupam espaço. E continuando no tema do ar fresco, também não é raro estacionarem os miúdos na varanda de casa (dentro do carrinho) para dormirem a sesta, mesmo no Inverno.
Por outro lado, por cá são as crianças que mandam no horário e rotina dos pais. Não há festas depois das 19:00 ou das 20:00 para ninguém. Não há saídas espontâneas. Não há, de todo, compromissos na hora de o bebé ir para a cama, e se tiverem convidados em casa não é raro "expulsá-los" de casa na hora de o bebé dormir. Confesso que acho bem serem tão organizados no que diz respeito à rotina dos miúdos porque na minha opinião as crianças precisam de estrutura no dia-a-dia (é fácil falar quando não se tem filhos), embora seja um projecto e meio tentar combinar algo com casais que têm filhos. Também sou a favor da escolha, do facto de se poder escolher ir a um restaurante sem crianças se assim se quiser. E sim, acho que o ar fresco faz bem aos miúdos mas acho que não me atrevia a deixar o meu baby imaginário estacionado à porta, com medo que o raptassem. Chamem-me paranóica, mas... no way.


28 comentários:

  1. Confesso que me faz confusão que deixem os bebés à porta dentro dos carrinhos. Os bebés não são bichos-papões, no máximo incomodam um bocadinho.

    ResponderEliminar
  2. Hábitos estranhos... Não fazia ideia de que era assim...

    ResponderEliminar
  3. é verdade, todos os nordicos são assim. nao é raro os pais sairem e deixarem os putos em casa a dormir sozinhos até.

    btw pa resolver o teu problema com o texto, seleciona o texto todo e carrega to botãozinho que tem um T e um x a vermelho, que está à direita na barrinha com as opções de edição, penultimo simbolo. isso retira todas as formatações. deve ajudar =)
    beijinho

    ResponderEliminar
  4. por aqui os teutöes fazem coisas parecidas. mas se no início me causava estranheza... agora acho que faz bastante sentido.

    ResponderEliminar
  5. Apesar de fazer confusão, provavelmente também se deve ao facto da Suécia ser um país mais seguro, não?

    Rui
    www.ruideviagem.com

    ResponderEliminar
  6. Olha...restaurantes sem crianças...bela ideia!! Chamem-me o que quiserem, mas há dias que não aguento criancinhas!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Onde e que assina? E olha que estou gravida kkkkkkk

      Eliminar
  7. Suécia muito à frente, sem dúvida!!

    ResponderEliminar
  8. Eu tambem nao deixava a minha crianca assim a porta.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Curiosas as diferenças culturais. Em Portugal quem fica à porta são os cães... Quanto à possibilidade de optar por um restaurante free style, parece-me bem. De facto, é muito mais agradável estar na amena cavaqueira sem crianças à volta a guinchar. Quanto aos casamentos, e considerando o simbolismo do acto (constituir família) parece-me, no mínimo, contranatura . PS Já sabes que a tua sis mais velha é pr´o tradicional

      Eliminar
  9. Ok, isso de deixar crianças sozinhas na rua ia-me fazer muita comichão. Acho que ia estar sempre a pensar que me iam raptar a criança. Mas, nós em Portugal somos considerados estranhos em muitos países por causa da maneira como lidamos com as crianças. Em muitos países é perfeitamente normal deixar uma criança sozinha em casa e ir sair, por exemplo. Ou deixá-los andar na rua sozinhos desde pequenos (isto faz-se muito aqui em França e faz-me imensa confusão, estou sempre com medo que sejam atropelados)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E depois acontece como à menina chinesa de 5 anos que caiu do 21º andar pq os paizinhos foram para o casino em Lisboa com ela a dormir. Não me cabe na cabeça...

      Eliminar
  10. Eu sou a favor dos carrinhos de bébé ficaram na rua! Cá metem-nos em todo o lado e são muitos carros, muitas crianças! O bébé a espera, sozinho, é que já não!

    ResponderEliminar
  11. Crianças fora do alcance da vista, não!

    ResponderEliminar
  12. Crianças fora do alcance da vista, não!

    ResponderEliminar
  13. Digam o que disserem, continuo a achar os nórdicos muito esquisitos em certas coisas!!

    ResponderEliminar
  14. Nunca na vida deixava o meu filho estacionado à porta, sem poder vê-lo. Nem em casa sozinho, a dormir que fosse, com 1000 perigos à espreita. Mas não sou totalmente contra a ideia de haver restaurantes onde não possam entrar crianças, para os adultos poderem escolher se querem frequentar esse tipo de locais, onde não terão de levar com miúdos, ou qualquer outro, onde todas as famílias podem ir. Agora deixar a criança sem supervisão... nope!

    ResponderEliminar
  15. Aqui no Brasil isso seria impossível, simplesmente porque as crianças seriam sequestrada ao menor descuido de seus pais! E se eles começam a chorar lá fora quando se sentirem sozinhos, que loucura seria, não!

    Bia
    www.biaviagemambiental.blogspot.com

    ResponderEliminar
  16. Bem vinda a minha vida Joana!!
    Depois que a gente se torna mãe vive caçando os cafés e restaurantes/lojas amigos das crianças. Nem sempre é fácil, mesmo num shopping como o Nordstan (o maior de Göteborg) às vezes é bem difícil andar com o carrinho de bebê. Esse foi um dos motivos que me levou a slingar o Benjamin pra lá e pra cá. Pena quf faz tanto frio nessa terra e que as crianças ficam pesadas rápido demais. Eu não expulso meus hóspedes às 20h (bedtime do B) mas confesso que já dormi com ele e tive que mandar um sms pedindo desculpas no dia seguinte.
    :)

    ResponderEliminar
  17. Bem vinda a minha vida Joana!!
    Depois que a gente se torna mãe vive caçando os cafés e restaurantes/lojas amigos das crianças. Nem sempre é fácil, mesmo num shopping como o Nordstan (o maior de Göteborg) às vezes é bem difícil andar com o carrinho de bebê. Esse foi um dos motivos que me levou a slingar o Benjamin pra lá e pra cá. Pena quf faz tanto frio nessa terra e que as crianças ficam pesadas rápido demais. Eu não expulso meus hóspedes às 20h (bedtime do B) mas confesso que já dormi com ele e tive que mandar um sms pedindo desculpas no dia seguinte.
    :)

    ResponderEliminar
  18. Oi Joana, amei sua visita ao meu blog e vim retribuir ( diga-se fuxicar todo o seu blog! kkkk ) engracado que isso me chamava muito a atencao quando eu morava na Dinamarca, e agora gravida, ja estou pensando em como fazer para que os pequenos nao dominem tudo como voce citou no teu post kkkkkk minha mae e bem pratica quanto a isso: quem chegou depois segue a agenda de quem chegou antes. Simples assim kkkkkkkkk Beijo

    ResponderEliminar
  19. Já estou acostumada em deixar os bebês dormindo no carrinho do lado de fora, eles dormem tranquilos e não vejo motivos para acorda-los ao entrar num café.
    Fiquei surpresa com essa da entrada das crianças serem proibidas em casamento, nunca vi. Aliás todos os casamentos que fui, estavam repletos de crianças.
    E sim, aqui na nossa casa temos rotina, mas as crianças vão para cama independentes se temos visitas ou não, jamais expulsaria visitas por causa disso, as crianças seguem a rotina delas e nós seguimos a nossa... E assim a vida segue mais feliz para os dois lados.

    Bjs

    ResponderEliminar
  20. Acho que, em Portugal, a ideia de deixar um filho sozinho à porta de um café não é concebível. Mas é bom saber que há sítios tão civilizados e seguros em que isso é mesmo uma prática corrente. Eu não sei se seria capaz...

    nem mais nem menos | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  21. Uma coisa que não me acostumo nos EUA são essas festas de crianças onde os pais deixam os filhos na festa e voltam pra buscar mais tarde porque os pais não são convidados, as crianças sim... Fico me perguntando como os hosts seguram toda a meninada na festa hahahaha!

    Beijos

    Querido Deus,obg por me exportar!

    ResponderEliminar
  22. Quantas vezes não temos vontade de tirar as pilhas aos putos que fazem um berreiro em público? ahah mas faz um bocado de confusão.
    Não há muito tempo, vi uma mulher no centro de saúde com duas crianças. Um tinha uns 4, 5 anos. O outro não teria mais do que alguns dias... e ela entrou com o mais velho, deixando o bebé sozinho na sala de espera. Isso para mim já foi esquisito, nem imagino esse tipo de situações xD

    ResponderEliminar
  23. Que engraçado, não sabia disso.:p No ano passado, estava num café em Bratislava com uma amiga e ficamos super admiradas porque estava um carrinho com um bebé à porta que para nós parecia abandonado. Nem chegámos a perceber quem eram os pais, se estavam no café ou na rua e ficámos um pouco chocadas, mas sendo assim se calhar eram Suecos.:p
    Opa, é por estas coisas que gosto de viajar, para conhecer realidades diferentes das nossas.

    Another Lovely Blog!, http://letrad.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  24. As diferenças culturais podem ser mesmo muito grandes! fogo! Em Portugal seria completamente impossível

    ResponderEliminar