segunda-feira, 30 de maio de 2016

O vestido chegou!




Este verão vou ser dama-de-honor. O casamento é em Julho na Croácia, ou seja, em princípio vai fazer muito calor e por isso eu e as outras damas-de-honor decidimos usar um vestido curto. Acabámos por escolher este da ASOS! Eu podia descrever o processo de espera mas não tenho o dia inteiro e depois de trocar umas quinhentas e sessenta e sete mensagens com o serviço de apoio ao consumidor da ASOS só me apetece deixar o assunto para trás e seguir com a minha vida agora que o vestido finalmente chegou... mas a moral da história é que aconselho vivamente a que encomendem as coisas a tempo e horas, com bastante margem de manobra no caso de haver imprevistos ou de não gostarem de se ver com a roupa (embora o "size guide" da ASOS seja bastante bom).  

Mas agora preciso do vosso expertise. Que sandálias é que uso com este vestido? Brancas? Pretas? Prateadas? Azul escuro? Bege? E acessórios, prateados ou dourados?

sexta-feira, 27 de maio de 2016

Da blogosfera Portuguesa



No geral, diria que a blogosfera apenas acrescentou coisas positivas à minha vida. Mas agora está a chegar o bom tempo e o pessoal começa a fazer cada vez mais passeios de fim-de-semana e férias e a publicar fotos do Norte, do Centro, do Sul, das praias, das montanhas, das aldeias, do mar, e eu fico com umas saudades do nosso país que não cabem em mim.


quarta-feira, 25 de maio de 2016

Coisas que compro quando vou a Portugal #1




Loção Body Tonic da Garnier
Não sei quanto a vocês, mas há produtos com os quais eu tenho uma relação especial. Este é o meu creme de Verão preferido porque é muito levezinho, refrescante (literalmente) e cheira a citrinos. A pele absorve-o imediatamente após a aplicação. E eu a-d-o-r-o o cheirinho a citrinos! Além disso, lembro-me de já na minha adolescência usar este creme no Verão e por isso sempre que o uso tenho uma espécie de reacção nostálgica. Não é para as peles mais secas (e costumo alterná-lo com um creme mais hidratante) e não vos sei dizer se deixa a pele mais firme tal como promete, mas é maravilhoso e vale a pena nem que seja pela textura e o cheirinho.

Champô Purificante da Pantene
Uso este champô uma vez por semana para remover resíduos de produtos mais a fundo, e aproveito sempre para fazer hidratação com máscara de seguida. Segundo o Senhor Viking este champô cheira a melão. Eu não consigo identificar o cheiro, mas é bastante fresco. E para mim o melhor deste champô é que, além de ser muito mais acessível que os champôs anti-resíduos profissionais, limpa bem o cabelo mas não o deixa particularmente ressecado nem cheio de nós. Mesmo assim, quem tem o cabelo seco deve fazer uma hidratação após o uso deste champô e não o recomendo para uso diário.

Aqui na Suécia também há a Garnier e a Pantene mas a oferta de produtos é mais limitada e estes não se encontram em lado nenhum, por isso quando vou de férias costumo sempre passar pelo hipermercado para reabastecer!

quinta-feira, 19 de maio de 2016

5.15 da manhã


A minha hora preferida do dia também é a hora da qual eu menos gosto. Não gosto de acordar cedo e no geral só lá depois das 10 da manhã é que começo a funcionar a sério. Mas desde que me lembro de existir que também gosto de ver o mundo a acordar, de ter as ruas vazias só para mim durante uns momentos, de sentir a transição da luz e da temperatura. E nos meses quentes parece que até o ar e os cheiros são diferentes. Aqui está Estocolmo às 5.15 da manhã.  Agora que estamos no horário de verão começa a amanhecer lá pelas 4.00. Tirei as fotos no caminho de casa para a estação.





segunda-feira, 16 de maio de 2016

Coisas que mudaram depois de vir para a Suécia #1


A tolerância ao açúcar. Nós em Portugal não nos apercebemos bem mas a verdade é que exageramos muito no açúcar. Por exemplo, começamos o dia com cereais, bolachas, croissants, leite de chocolate, café com açúcar etc.

Por cá, comer açúcar ao pequeno-almoço é tabu. O pequeno-almoço típico Sueco é iogurte natural (sem açúcar) e fatias de pão integral (do escuro mesmo) com manteiga, queijo e rodelas de pepino, tomate ou pimento... ou tudo junto.

Os miúdos têm um dia da semana específico no qual estão autorizados a comer gomas e afins. É ao Sábado e a tradição tem um nome: "lördagsgodis". Lördag = Sábado. Godis = doces do género gomas. Ao Sábado as famílias vão ao supermercado encher saquinhos com gomas.

Ninguém põe açúcar no café. Eu deixei de pôr simplesmente porque me dava um bocado de vergonha ser a única a fazê-lo e porque fiquei sem paciência para ouvir comentários ("açúcar no café? A sério?!") e no início custou mas agora já não me sabe bem o sabor do açúcar no café. Nota: quando vou a Portugal ainda ponho açúcar no café. Acho o nosso café demasiado para ser bebido sem açúcar.

Até os bolos deles levam muito menos açúcar do que os nossos.

E nem o raio das maçãs estão a salvo. Tenho um colega que está a fazer dieta e come uma maçã ao lanche todos os dias. E o outro vira-se para ele e diz "Mas então estás a fazer dieta e comes maçãs todos os dias?! Não sabes que têm muito açúcar?!". Sem uma ponta de ironia.

Digamos que após 7 anos neste país tenho menos tolerância ao açúcar do que tinha dantes. É claro que ainda como doces, especialmente logo depois do almoço, mas hoje sou menina para dizer coisas malucas como  "isto é demasiado doce", algo que seria impensável antes de viver neste país.

sexta-feira, 13 de maio de 2016

Isto não é um fashion blog, mas




Como vos disse, é este o meu "uniforme" de Primavera, para aqueles dias que não são quentes nem frios. Casaco, écharpe e sabrinas. A écharpe, encontrei-a na secção masculina (!) da New Yorker e tenho-lhe dado imenso uso. O casaco é da Stradivarius, comprado nas férias de Natal em Portugal. O top também é da Stradivarius. As calças são da Vero Moda, uma espécie de Zara cá do reino (e sim, apesar do nome é muito popular). As sabrinas são da Bottero, uma marca Brasileira, e foram compradas em Varsóvia por uma amiga (#globalização). 
E como dá para ver na foto habemus telemóvel novo *palmas* Acabei por comprar um iPhone 5SE (cor-de-rosa!) e estou mais do que satisfeita. Achei que merecia, depois de viver mais de três anos com o telemóvel mais..... lento..... do..... mundo (o velhinho Samsung Galaxy S 3).

quarta-feira, 11 de maio de 2016

Dramas de emigrante na Suécia


Recentemente acordei com desejos de comer arroz de tamboril e lá fui, muito determinada, a um supermercado cuidadosamente seleccionado por ter uma oferta de peixe que se estende além de douradinhos e postas de salmão congeladas. E tudo corria bem até que vi o preço: 75 euros/kg. 75 dinheiros! Acabei por comprar bacalhau congelado. E quando me lamuriei para com Senhor Viking ainda ouvi o seguinte comentário "Eu bem estranhei que quisesses 'desfazer' tamboril e servir com arroz. Normalmente usamos peixes mais baratos para fazer pratos desse género. O tamboril servimos em postas". Passei o resto do dia com saudades de casa.


sexta-feira, 6 de maio de 2016

Outfits de Primavera


O bom tempo chegou aqui, o que significa que abandonei o meu gorro "de Inverno". Muitas suecas  já andam de calção-cueca e tops a mostrar a barriga mas eu acho que 16 graus não justificam tanta frescura. A mim basta-me andar pela sombra ou aproximar-me da secção de congelados do supermercado para ficar com arrepios. Ando por isso com o meu look tradicional de Primavera: top, casaquinho e écharpe. E usei sapatinhos abertos pela primeira vez este ano! Até vos ia mostrar fotos mas o meu telemóvel resolveu tomar banho e falecer. Que descanse em paz.

domingo, 1 de maio de 2016

Dar espaço ao que é novo


Já vos tinha falado do Valborg aqui. É uma das grandes tradições suecas. Faz-se uma fogueira ao final da tarde para simbolizar a chegada da Primavera e a destruição do que é velho, para dar espaço ao que é novo. É a noite em que muitos adolescentes apanham a sua primeira grande bebedeira, mas também é a festa da família e muitas levam também os seus amigos de quatro patas, alguns deles devidamente agasalhados com casacos caninos muito fashion. Há música, fogo de artifício, barracas com comida. Eu e o Senhor Viking esquecemo-nos de levar dinheiro (só tínhamos cartão), por isso não pudemos comprar nada nas barracas. Tivemos de reabastecer no café mais próximo e comemos uma "räkmacka" (sandes de camarão), muito típica cá no reino. Pão, maionese, camarões pequeninos, ovo cozido, pepino e tomate. A foto não lhe faz justiça mas é um dos meus snacks Suecos preferidos.


A fogueira de Klubbensborg (Estocolmo)