sexta-feira, 30 de setembro de 2016

O café e a sanidade mental


Este semestre escrevo a minha tese e além disso tenho um part-time que posso fazer a partir de casa (mais ou menos). O que significa que há certas semanas em que passo muito... tempo... em... casa. Mas uma das vantagens de viver na Suécia é que não faltam cafés adaptados a pessoas na minha situação! Hoje experimentei o Espresso House, que faz parte de uma cadeia de cafés que está representada em todo o país - mesmo nas cidades mais pequenas. Tem cafés, tem bagels e muffins deliciosos, tem sofás confortáveis, tem tomadas em praticamente todas as mesas (não vá o portátil ficar sem bateria), tem desconto de 10% para estudantes, tem wi-fi grátis e ilimitado, tem inspiração (às vezes) e, o mais importante, tem pessoas. Ou seja, tem tudo. Amén. 


 Espresso House em Hornstull, Estocolmo

P.S.: O que aconteceu à lista de blogs que antes estava no lado direito da página? Alguém sabe?

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Às compras em Portugal #2


Depois das férias na terra-mãe, tem sido tempo para voltar à rotina da universidade, do trabalho (agora em part-time de novo após o Verão, em que trabalhei a tempo inteiro)  e dos compromissos. Setembro tem surpreendido - o Outono não está com pressa de chegar e temos tido muito sol e até algum calor para a época. Alguns dias andam pelos 20 graus, hoje temos 15 e sol. Não é mau. Nada mau. Mas o que eu queria mostrar-vos neste post? As pequenas compras que fiz em Portugal.


Jeans da Zara. Não compro malas nem sapatos na Zara, e é raro comprar tops ou vestidos. Mas a Zara é sem dúvida a minha loja de eleição quando quero comprar um par de calças "coloridas", e ao longo dos anos a lista tem-se alongado - verde, vermelho, preto, cinzento, salmão... A Zara tem jeans e calças de cores variadas e geralmente de bom corte à volta dos 25-30 euros. A Zara é nossa amiga.


Camisola da Mango e pulseira da Parfois.


Lenço da Biju


Os meus presentes. Azeite da Herdade do Esporão, sal de Aveiro, sabonetes da Castelbel, chávenas de café com motivos tradicionais. O que não falta em Portugal são souvenirs e presentes giríssimos e eu faço questão de fazer sempre pelo menos uma visita às lojas tradicionais durante as minhas visitas.



E falar em souvenirs. Tenho de fazer uma menção de honra à loja de produtos nacionais do aeroporto de Lisboa, que é é fan-tás-ti-ca. Acho que se a crise teve algum efeito positivo, foi começarmos a valorizar mais os nossos produtos nacionais, mas não só. Também começámos a inovar com ponto de partida em produtos tradicionais. Gosto muito. Temos coisas tão giras!


domingo, 4 de setembro de 2016

O nosso Portugal


Vocês (algumas, vá) embrenhadas no #BEDA (Blog Everyday in August) e eu feita eremita. Estive de férias no meu querido Portugal e o tempo passou a voar. Matei saudades das minhas pessoas (se é que "matar saudades" existe), passeei muito, observei as pessoas, comparei preços Suécia vs. Portugal (parece que é o meu novo hobby e eu nem sabia), comi tudo aquilo a que tinha direito (mas ainda queria comer mais), absorvi muitos raios de sol e... fiz tudo menos escrever. Aliás, acabei por inconscientemente fazer um detox tecnológico que me fez muito bem. Mas tirei fotos. Ai tirei, tirei. 


Peso da Régua. Foi um dos pontos altos da viagem e regressei apaixonada pelo Douro e com vontade de ver mais. Visitámos, o viking e eu, a Quinta do Vallado e degustámos vinhos. Recomenda-se.


Moi, camuflada em Lindoso, Gerês. Nem de propósito.


O castelo de Lindoso


Algures no Gerês, um dos meus sítios preferidos neste planeta.


A praia em Viana do Castelo


A praia da Costa Nova, em Aveiro


Eu e o meu viking em Braga