quarta-feira, 19 de setembro de 2018

Um grande desgosto


Sempre temi o dia em que isto iria acontecer. Pois bem. Ontem comprei rímel azul por acidente.

Se eu escrever uma petição pela penalização da venda de rímel azul vocês assinam?


segunda-feira, 17 de setembro de 2018

E a gravidez, como está a correr?


Por enquanto tem sido uma gravidez tranquila. Tive muitos poucos enjôos, e os que tive (por norma ao final da tarde e não matinais!) cessaram por completo por volta das 13 semanas. Pelo contrário, desde que engravidei que tenho um apetite enorme, nas primeiras semanas quase insaciável! Também tive muita sede nas primeiras semanas, mas agora voltei ao normal. 

Até agora só tive um desejo (uma espécie de goma ácida chamada "flygande tefat") e uma aversão a comida: durante meses não consegui comer halloumi, que antes adorava. Por outro lado, se antes podia esperar mais de uma hora depois de acordar para tomar o pequeno-almoço, desde que engravidei que tenho de comer quase imediatamente. Também reduzi muito o consumo de café, o que não me custou nada, ao contrário do que pensava. Nas primeiras 12 semanas quase não bebi café e as vezes que bebi, era descafeínado. 

Como vos ia a dizer, uma gravidez tranquila. Excepto umas semanas durante o primeiro trimestre em que passei bastante mal com cansaço extremo devido a anemia, tensão baixa e devido à minha medicação da tiróide precisar de ser ajustada. Mas tudo foi ao sítio quando comecei a tomar ferro e quando ajustaram a medicação. A tensão continua baixa, o que segundo a minha parteira é bom sinal. 

Mas acima de tudo a gravidez tem sido diferente do que eu imaginava. Na Suécia não se revela a gravidez durante as primeiras 12 semanas, muitas vezes nem sequer às pessoas mais próximas. Depois das 12 semanas o risco de aborto espontâneo baixa bastante e muitos contam às pessoas mais próximas por volta dessa altura. Nós contámos aos meus pais logo no dia seguinte a eu ter feito o teste de gravidez. Eles estavam de visita, era o Dia da Mãe e eu expliquei ao Peter que simplesmente tinha de partilhar a notícia. Mas de resto adaptei-me ao costume Sueco. Pensei que ia custar manter o segredo, mas não. 

Também sempre imaginei a gravidez como o "estado de graça" que dizem que é. Imaginei que iria andar nas nuvens, que nada me iria perturbar. Acho que subestimei o impacto emocional da gravidez. No primeiro trimestre tinha tanto medo de fazer algo errado que não me atrevia a fazer nada. A dar uma corrida para apanhar o metro. Já no metro, detestava ter de respirar aquele ar pesado, com medo de fazer mal à bebé. Andava sempre no Google a fazer pesquisas variadas.

Agora estou mais relaxada mas continuo a ter os meus stresses. Na Croácia não conseguíamos estar numa esplanada sem inalar montes de fumo, já que t-o-d-a a gente fuma. E eu seeeei que o ser humano é muito resistente e que sempre nasceram milhões de bebés em todos os tipos de condições (guerras etc.) mas há momentos em que o meu instinto maternal lhe dá com força. Na Croácia, cheguei a pensar para comigo mesma que queria interromper as férias e voltar para casa. Já para não falar das ecografias. Da carga de nervos que para mim é fazer ecografias. Das lágrimas de alívio quando me dizem que está tudo bem com a pequenina.

Também não imaginei que iria DEMORAR até me cair a ficha e perceber que realmente tenho um bebé cá dentro! Disseram-me que iria dar a volta depois da primeira eco. Não. Nem na primeira (em Portugal), nem na segunda, nem na terceira. Foi preciso esperar até à semana 23. Mas a realidade lá veio como uma onda, e um belo dia depois do trabalho liguei ao Peter para o informar que simplesmente tinha que comprar o primeiro outfit da menina, para usar na maternidade. Aqui está:


P.S. Ninguém me avisou que até os braços engordam com a gravidez. 

segunda-feira, 10 de setembro de 2018

Europa, mon amour


Este ano pegámos de novo no carro e fomos percorrer a Europa. Desta vez fomos à Croácia (Crikvenica e Opatija) e à Itália (Verona e Modena). Pelo caminho, pernoitámos na Polónia e na Áustria. Passámos pelos Alpes e por aquelas que talvez sejam as paisagens mais bonitas que vi na vida. Tal como no ano passado, praticamente não fizemos reservas de hotel antecipadamente (excepto três noites pelo Airbnb em Crikvenica), o que nos deu muito espaço de manobra. Fez bem ir arejar e tirar uma pausa do trabalho. Fez bem ir comer massa, chapinhar no mar e ler livros. Durante a viagem senti os primeiros pontapés da minha menina, o que me deixou muito feliz. Eu e o papá gostamos muito de sentir os movimentos dela. 

Deixo-vos algumas fotos.



Bad Gastein nos Alpes Austríacos



Mais Alpes


O Adriático


Em Opatija, comprámos uns pequenos detalhes feitos à mão para o cantinho da nossa menina


Eu e a barriga nos arredores de Verona


Eu a barriga na Aceitaia Giusto (produtores de azeite balsâmico) em Modena


Em Itália também se come bolas de Berlim


Mocktail (cocktail sem alcóol) para mim e um cocktail normal para o papá

P.S. 1: Obrigada pelo vosso carinho e pelas vossas felicitações. Em breve vou visitar os vossos blogs! Muitos beijinhos.

P.S. 2: E quem voltou a receber notificações de comentários pelo mail ponha as mãos no ar! Yay!