domingo, 5 de agosto de 2018

O Lidl em parceria com o Universo


Lembram-se de eu no post anterior dizer que tenho de saudades de rissóis com arroz de tomate? Pois o amigo Lidl, em parceria com o Universo, resolveu agir. Mais ou menos. Não com rissóis mas sim com bolinhos de bacalhau. Também sabe bem com arroz de tomate.


Pensei em aproveitar a onda de generosidade do universo e mencionar casualmente que também me dava jeito 100 000 €, cabelo daquele que se pode apenas lavar e escovar antes de sair de casa, um método de teletransporte, um canídeo, paz no mundo, saúde e felicidade para a família.

quinta-feira, 2 de agosto de 2018

Onda de calor ou o apocalipse


Na Suécia temos onda de calor. É o verão mais quente desde que se começou a fazer o registo das temperaturas a nível nacional há uns 300 anos. A temperatura ronda os 30 graus há quase dois meses, as ventoinhas estão esgotadas em todo o lado, temos seca, temos incêndios (Portugal enviou recursos – obrigada!) e os edifícios e casas suecas têm as suas qualidades mas se há uma coisa para os quais não foram concebidas, é lidar com temperaturas deste calibre. Não se fala de outra coisa sem ser o calor no trabalho. Nem com os vizinhos. Nem com a menina que trabalha no quiosque. No trabalho há uma batalha entre os que querem as janelas abertas para deixar entrar o ar e os que querem as janelas fechadas para o suposto ar condicionado. E eu às vezes dou comigo a desejar que o Outono chegue. E isto meus amigos é coisa que em nove anos de Suécia nunca antes me sucedeu. Oremos.
 

sexta-feira, 13 de julho de 2018

Prémio Sunshine Blogger - as minhas respostas!



Fui nomeada pela Ana para o Sunshine Blogger Award. Beijinhos Ana! Sempre gostei destes "awards", transportam-me aos inquéritos da minha adolescência, que preparávamos cuidadosamente num caderninho e que andavam a circular pela turma inteira. (Os adolescentes de hoje em dia ainda fazem disso?). Este prémio consiste em responder a 11 perguntas, aqui estão elas!

1. qual o último livro que você terminou de ler?
"Ska vi dansa?"- é um livro sobre uma tradição que existe por exemplo no Afeganistão e no Paquistão e que consiste numa forma velada de pedofilia, na qual meninos muito jovens se vestem com roupas femininas e dançam para homens adultos. Para mim, que trabalho com muitos jovens do Afeganistão, é bom estar a par de realidades como esta.

De resto, ando a tentar ler "Hardwiring happiness" de Rick Hanson desde o verão passado -.- 

2. com quem você mora?
Com o Namorado. 

3. canto favorito da casa
O nosso rico sofá no qual durmo muitas sestas. 

4. banda favorita na adolescência
Penso que eram os Foo Fighters no início da adolescência e, mais tarde, os Queen of the Stone Age.

5. banda favorita agora
Tenho várias! Curiosamente, algumas delas (como os Arctic Monkeys, os The Killers e os Franz Fardinand) são bandas que ficaram desde a adolescência. Também ouço muito Metronomy e The Last Shadow Puppets. Mas se tiver de escolher uma banda "para todas as ocasiões", escolho certamente os Arctic Monkeys.

6. um destino de viagem
Mais uma pergunta difícil! Chamem-me sem sal mas eu tenho um fascínio inexplicável pela Espanha, por isso escolho a Espanha. No ano passado, quando fizemos uma roadtrip Suécia - Portugal, atravessámos a Espanha de carro, o que veio reforçar o meu fascínio. As paisagens desérticas, as aldeias pequenas, as plazas com as suas esplanadas, as praias. E como gosto da língua Espanhola e daquele ar da manhã e do fim da tarde!

Algures no deserto Espanhol durante a roadtrip

7. um destino de viagem (que você ainda quer ir)
Ando há anos com muita vontade de ir à Escócia. Já fui à Inglaterra, ao País de Gales e à Irlanda. Falta-me a Escócia e a Irlanda do Norte. O sonho seria percorrer aquilo tudo de carro (mas irei precisar de condutor porque conduzir pela esquerda está fora de questão :) ) e passar por todas as aldeias e castelos. 

Dá reparar que a Europa é o meu sítio?

8. especialidade na cozinha
Hmm... Não tenho especialidade! Costumo experimentar receitas diferentes e simples (massas, saladas , sopas, lasanhas etc.) porque durante a semana não dá para fazer refeições elaboradas e aos fins-de-semana costumamos andar saídos. Mas no meu aniversário fiz umas mini-quiches de tomate e alho francês que foram bastante elogiadas.

9. está apaixonada(o)? 
Sim

10. uma saudade
Sou Portuguesa. Sou feita de saudades! Não sei por onde começar. Tenho saudades de estar em casa com a família. Tenho saudades de passar o dia à beira da piscina a "snifar" o cheirinho a protector solar e a cloro. Tenho saudades de rissóis com arroz de tomate. Tenho saudades de beber Radler. Tenho saudades dos meus calções verdes que desapareceram sem rasto. 

Eu e os saudosos calções verdes no Gerês. Foi a nossa última aventura juntos.

11. o que te deixa feliz?
Animais. Música boa. Passar tempo com os meus. Saber que a minha família está de boa saúde. Pessoas que partilham o meu sentido de humor. Andar de barco e viajar no geral. Poder sair de casa sem levar casaco. 

Eu nomeio... quem achar piada a este tipo de coisas :) Aqui estão as perguntinhas:

1. Vais passar uma temporada numa ilha deserta e só podes levar cinco coisas contigo. O que levas?
2. Descreve o fim-de-semana perfeito!
3. Preferias ter de renunciar a) café ou a b) acesso à internet durante dois meses?
4. Cidade preferida
5. Três características que admiras noutras pessoas
6. Três características que admiras em ti mesmo(a)
7. Deram-te uma quantia ilimitada de dinheiro para gastar em 24 horas. O que fazes?
8. Viajar para o passado ou para o futuro? Porquê?
9. Escolhe um super-poder!
10. Um sonho por realizar
11. Se a tua vida fosse um filme, qual seria o título?

P.S. Não ando a receber notificações de comentários por email como antigamente. Alguém sabe porquê?

quinta-feira, 21 de junho de 2018

Entretanto na corrida para o prémio Pior Blogger


Têm ocorrido algumas mudanças por cá que por enquanto não posso partilhar e que têm ocupado os meus dias. Mas recentemente fui dar mais um saltinho a Portugal. O timing foi um bocadinho mau considerando que estava mais calor na Suécia do que em Portugal mas não faz mal. Portugal é mais do que sol e calor. É por exemplo uma sensação de chegar a casa após uma longa estadia na casa de amigos. 

Desta vez fomos dar um saltinho ao Algarve. Pelo caminho passei pela costa Alentejana. Os preços das portagens e do combustível continuam a ser uma coisa de loucos, mesmo para quem ganha um salário Sueco. Sem querer parecer condescente, para mim é um mistério como as pessoas conseguem orientar a vida em Portugal. Tudo bem que a comida e muitos serviços são mais baratos. Mas os carros, as portagens, os telemóveis, o combustível, os computadores, a água, a luz, a roupa no geral, e toda uma série de artigos básicos como champô e pasta de dentes não são. 

De qualquer forma, ficámos hospedados no Vila Galé em Lagos. Já não ia ao Algarve há anos. Soube pela vida. Apanhámos uns raios de sol e comemos way too many batatas fritas porque vem tudo acompanhado de batatas fritas. Provavelmente graças aos amigos Ingleses.




É tudo por enquanto. Beijinhos!

segunda-feira, 23 de abril de 2018

Dias de liberdade


É um post estranho a uma segunda-feira. Mas chegaram o sol, as temperaturas positivas, a sensação de liberdade por poder agarrar na mala e nas chaves de casa e sair sem ter de pensar nas luvas e no cachecol. Chegou a época em que, em vez de fazer pausa para o café no trabalho, vou dar uma volta ao lago que há pertinho do escritório e apanho luz e sol. Chegaram os dias compridos em que pelas 05:00 já é de dia e só anoitece bastante tarde. Chegou a época das sandálias e sapatos giros, sem ter de evitar as pedrinhas anti-derrapantes que o município espalha pelas ruas no Inverno e que deixam o calçado uma lástima. Chegou a época de comprar morangos a preços exorbitantes, a época dos gelados e dos churrascos. Chegou a época de ler livros e beber café na marquise.


E em breve chega também a visita dos meus pais e as cerejeiras em flor em Kungsträdgården, paragem obrigatória todos os anos. A grande vantagem de viver perto do círculo polar é que cada hora de sol é uma hora de ouro. 


sexta-feira, 23 de março de 2018

E estava-se tão bem em Portugal


As minhas visitas a Portugal são quase sempre de médico. Não dá para fazer tudo o que eu quero. Para ver todas as pessoas que quero ver. Para comprar tudo o que quero comprar. Para comer tudo o que quero comer. Para apanhar todo o sol que quero apanhar. Para dar todos os beijinhos que quero dar às minhas sobrinhas. Mas dá sim para encher o coração.


E para fazer madeixas pela primeira vez na vida. Não se vêem bem na foto (talvez por ter suplicado 1748595 vezes à cabeleireira para não me deixar feita zebra), mas estão lá e a cor tem ficado mais aberta com a lavagem.


E para dormir sestas com este jeitoso.



E para visitar o Alentejo, meu amor.



E para visitar a Herdade do Esporão, em Reguengos de Monsaraz (linda).



E para passar uma noite n'A Serenada, em Grândola (vila morena).


 E para voltar ao Porto e rever amigas.


E para fazer uma amiga para o Verão, da Parfois.

E para comparecer à festa de aniversário da sobrinha mais nova.

E para encher a minha avó de beijinhos.

E para apanhar chuva mas também muitos raios de sol.

E para andar a namorar as coisas do Boticário mas não comprar nada (já é tradição, não sei porquê).

E para comer polvo e dourada e tripa de Aveiro e bolinhos de gema.

E deu quase para matar as saudades.


segunda-feira, 12 de março de 2018

Arranjar casa em Estocolmo - como é?


Pré-aviso: não quero desanimar ninguém mas ao mesmo tempo perguntam-me bastantes vezes se é fácil arranjar casa em Estocolmo e eu não vos vou mentir porque não quero que ninguém venha ao engano. Eu gosto muito de Estocolmo. É uma cidade muito bonita, tem os melhores transportes públicos do mundo e as condições de trabalho (na Suécia no geral) são do melhor. A Suécia é o país ideal para criar filhos, é o país ideal para quem gosta de decoração de interiores e minimalismo e roupa preta, para quem gosta de falar de exercício e de participar em corridas, para quem gosta de cerveja artesanal e de churrascos no parque, para quem gosta de fazer compras online, para quem gosta de celebrar o Festival da Canção (Melodifestivalen ou Mello para os amigos), para quem gosta de ir a concertos de pequenas bandas independentes, para quem gosta de bares hipster e de pubs irlandeses, para quem gosta de tatuagens e empresas de IT, para quem gosta de ver homens com cães pequeninos e a empurrar carrinhos de bebé com um latte take-away na mão, para vegetarianos, para quem gosta de comida internacional, de pizza de kebab e de massa com ketchup e até para quem gosta de andar na água, literalmente.

Eu a andar no lago gelado
Estocolmo tem as suas qualidades mas o mercado imobiliário não é uma delas e quem quiser dar o salto e mudar para cá deve vir prevenido. Começando pelo início:

É difícil encontrar casas e apartamentos de aluguer em Estocolmo. Tanto, que empresas como o Spotify ameaçaram o governo que se a situação não mudar, as instalações da empresa serão mudadas para outros países. Tudo porque os funcionários não encontram sítio onde morar. 

Há apartamentos para alugar mas a renda é muito cara. Fiz um estudo de mercado apenas para vocês e trago exemplos: a renda de um T0 de 23 m2 numa área boa mas não central (Sundbyberg, a 13 minutos de metro do T-Centralen) fica por volta dos 1 000 €. Por 550-600 € aluga-se um quarto na mesma área. Se for numa área mais popular, por exemplo Södermalm, a renda de um T0 pode ficar pelos 1 500 € e não é raro ver quartos a 800 €. Já numa cidade mais pequena como Eskilstuna encontram-se T2 por 850-900 €, o que é uma pechincha por comparação. Pormenor importante: por um motivo que desconheço, os Suecos "contam" a sala-de-estar como sendo um quarto. Por isso quando um Sueco vos diz que o apartamento tem "dois quartos", isso significa que o apartamento apenas tem um quarto de dormir. Se vos diz que tem "um quarto", significa que se trata de um T0.

E como se os preços não desanimassem o suficiente, muitos inquilinos requerem o pagamento de um depósito correspondente a um ou dois meses de renda e a maioria das ofertas de aluguer são a curto-prazo, ou seja, por um par de meses ou meio-ano enquanto o inquilino vai de viagem ou experimenta viver com o(a) namorado(a). Há um termo para isto: provbo med sambo. Como é tão difícil arranjar imóveis para alugar, muitas pessoas não se atrevem a abrir mão do seu imóvel e optam por alugar em segunda mão enquanto experimentam a vida a dois com o(a) amado(a). E depois há os loucos que andam por aí. Sem exageros - já vi um anúncio onde um casal procurava alugar um "quarto sem W.C. mas o ideal será alugar a uma pessoa que possa tomar duche no ginásio". E tenho uma amiga que foi burlada e pagou 1 500 € pelo depósito de um apartamento, que  nunca mais recuperou.

Pois. O melhor é mesmo investir e comprar, se houver capital. Em Estocolmo tem sido um negócio muitíssimo rentável, até recentemente porque os preços dos imóveis estagnaram e em alguns casos baixaram um pouco. Mas por lei 15% do valor da casa (o chamado kontantinsats) tem de ser pago a pronto, ou seja, sem recorrer a crédito. Digamos que encontras um T1 de 53 m2 numa área boa (Nacka) mas a certa distância do centro por 378 422 €. Terás de pagar 56 763 € a pronto, sem recorrer a crédito. 

Para pôr as coisas em perspectiva, uma pessoa que tenha um salário líquido não alto mas razoável de 2 300 € (cerca de 3 150 € brutos, dependendo do município de residência) e que consiga poupar 10 % do salário líquido por mês (230 € por mês) terá de poupar durante 247 meses, ou seja, durante quase 21 anos, para poder pagar o kontantinsats de um T1 em Nacka. Não está fácil.

Vendo pelo lado positivo: aqui os imóveis de aluguer vêm com electrodomésticos (frigorífico etc.), incluídos, e as casas costumam ser bem quentinhas, mesmo quando fazem -10 graus lá fora.

Links úteis:
Blocket para procurar imóveis para alugar (é o OLX Sueco)
Hemnet para procurar imóveis para comprar